• Barros e Oliveira

8 de março: dia internacional da mulher



Com informações do Portal G1 - Bem mais que uma data de cunho comercial, o dia 8 de março tem como principal marca a trajetória das mulheres na busca por dignidade. A escolha deste dia remonta uma série de fatos históricos decisivos para a construção dos direitos e do combate aos diferentes tipos de preconceito que vitimaram mulheres de diferentes grupos sociais no decorrer da história. Um destes eventos, o um incêndio ocorrido em na Triangle Shirtwaist Company, em Nova Iorque, que resultou na morte de 146 trabalhadores destas sendo 125 mulheres e 21 homens . O episódio ocorrido em Nova York no dia 25 de março de 1911 trouxe à tona as más condições enfrentadas por mulheres no ambiente de trabalho após a Revolução Industrial.

Além da agenda trabalhista, a data remonta as diferentes frentes de preconceito e violência vividas pelas mulheres e dá visibilidade às dificuldades que fazem parte do cotidiano. No Brasil, por exemplo, os casos de feminicídio tiveram um aumento de 7,3% em 2019 em comparação com 2018. São 1.314 mulheres mortas pelo fato de serem mulheres – uma a cada 7 horas, em média. É importante destacar que os números surgem na direção oposta dos casos de homicídios no país, que no comparativo do último ano reduziram em 19%. O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

 

Rua Sete de Setembro 88, Gr. 511 - Centro - Rio de Janeiro CEP 20050-002 Tel.(21) 2507-2169 contato@barroseoliveira.com.br © 2013 Barros & Oliveira Advogados Associados. Todos os direitos reservados​​​​​​​